Quais são os tipos de implantes dentários?

A perda de um ou mais dentes implica na dificuldade de mastigação, fala e até no desalinhamento dos demais dentes.

É importante que o paciente busque uma solução imediata para que a arcada inteira não seja prejudicada.

Atualmente, existem vários tipos de implantes dentários. O profissional implantodontista é quem fará a indicação da melhor solução para cada caso.

 

Implante Unitário Simples

Indicação: Pacientes que perderam um ou poucos dentes

Como é feito: Pino de titânio, semelhante a um parafuso, implantado no tecido ósseo, que serve como raiz do dente. Em seguida, é adicionada a prótese sobre o implante.

Benefícios: Modelo mais conhecido e rápido, a adaptação para falar ou mastigar será muito tranquila.

Implante 2×3 (2 implantes para substituir 3 dentes)

Indicação: Pacientes que perderam 3 dentes consecutivos

Como é feito: Dois pinos de titânio em dentes alternados, com três próteses, sendo a do meio sem implante – como uma ponte.

Benefícios: Menor intervenção com resultado final satisfatório. Reduz o custo e tempo do procedimento.

 

Implante com Prótese Overdenture

Indicação: Pacientes com dificuldades de adaptação a próteses convencionais ou pacientes que desejam maior estabilidade da prótese e eficiência mastigatória.

Como é feito: Implante realizado com dois a três parafusos, de suporte onde é encaixada a prótese móvel (dentadura).

Benefício: Este tipo de implante proporciona maior segurança para o paciente, não desgasta o osso com o atrito e favorece a higienização da prótese, que pode ser retirada.

 

Implante com Prótese Protocolo

O que é prótese protocolo?

Indicação: Pacientes que perderam todos os dentes de uma arcada e possuem ossos saudáveis para o procedimento de implante.

Como é feito: São instalados de 4 a 8 pinos de titânio em cada arcada, para encaixar uma prótese total fixa. A prótese possui características de gengiva e dentes muito próximos aos reais, tornando a aparência bem natural.

Benefício: Total segurança e poder mastigatório muito próximo dos dentes naturais.

 

Todos os tipos de implantes dentários demandam manutenção para a longevidade do material. Higiene bucal correta e as visitas periódicas ao dentista asseguram um sorriso bonito por mais tempo.

 

Como a boca lida com a falta de dentes?

Entre as principais causas da perda de dentes, estão as cáries, as doenças periodontais e os traumas. Algumas pessoas, no entanto, acreditam que quando a ausência do dente não é visível, não há motivos para se preocupar. Entenda como a boca lida com a falta de dentes, resultando em diversos prejuízos estéticos e funcionais.

O termo científico usado para denominar a perda de um ou mais dentes é “edentulismo”. É um problema muito comum no Brasil e está especialmente relacionado à falta de higiene bucal.

O fato é que existem algumas ideias equivocadas acerca do tema, como “a ausência de apenas um dente não faz falta”, ou “se o dente perdido não for visível ao sorrir, não necessita de substituição”.

Estas são afirmativas muito perigosas. Existem estudos que comprovam, cientificamente, a origem de danos graves à saúde decorrentes da perda de um ou mais dentes.

 

Desalinhamento da arcada

Na falta de um ou mais dentes, o organismo realiza um movimento natural em toda a arcada para cobrir tal ausência, no intuito de restabelecer a função mastigatória. Esse movimento, entretanto, desalinha os demais dentes, agravando ainda mais o problema.

Em crianças

O processo de transição espontânea da dentição de leite para a permanente costuma ser bem rápido.

Porém, quando motivada por algum trauma ou problema de saúde, a perda precoce do dente de leite também provoca a movimentação irregular da arcada dentária.

Insuficiência mastigatória

Cada elemento dentário possui sua função no processo de mastigação, e complementa a ação do outro.

Quando não há dentes suficientes, portanto, a capacidade de mastigação fica muito reduzida.

Com a insuficiência mastigatória, os alimentos não são triturados adequadamente, sobrecarregando o funcionamento do estômago e do intestino.

Na tentativa de evitar esses problemas, alguns pacientes relatam ter suspendido o consumo de determinados alimentos, mas acabam adquirindo outros: o déficit nutricional e a anemia.

 

Reabsorção óssea

É um processo fisiológico que ocorre quando a pessoa fica sem o dente por muito tempo.

Os ossos e tecidos da gengiva perdem espessura por falta de estímulo, pois o organismo entende que aquela estrutura não é necessária e a absorve com o intuito de economizar energia.

Isso faz com que a sustentação dos demais dentes fique comprometida e, em caso de instalação de prótese dentária, não tenha espessura suficiente para osseointegração do pino, sendo necessário o enxerto ósseo.

Além disso, a reabsorção óssea afeta o formato do rosto e, consequentemente, a autoestima, o que pode levar a pessoa a excluir-se do convívio social e até desenvolver depressão.

 

Qual a solução para evitar os problemas decorrentes da falta de dentes?

É recomendado que após a perda dos dentes, a substituição seja feita o mais rápido possível.

Existem, atualmente, muitas opções de próteses dentárias – móveis ou fixas, parciais ou totais e implantes dentários. Elas devolvem a você o sorriso perfeito e contribuem para sua qualidade de vida.

Quer saber se você também pode se beneficiar desse recurso acessível e prático?

Escolha a unidade mais próxima e agende sua avaliação gratuita com um de nossos profissionais! Se tiver alguma dúvida, entre em contato conosco.

Implante dentário na DenteBelo.

Venha sorrir com a Dente Belo!

LEIA TAMBÉM:

O que comer após o implante dentário?

Qual a diferença entre prótese e implante dentário?

Como é feito um implante dentário?

Tratamentos odontológicos na DenteBelo

Implante dentário

Prótese dentária

Clareamento dental

Ortodontia

Alinhador Invisalign

Aparelho ortodôntico

Clínica geral

Tratamento de canal

Gengivite

Periodontia

Bruxismo

Ácido hialurônico

Bichectomia

Lipo de papada